25
set
2014
0

Apostas para o Festival do Rio 2014

Top 20 do Cinédoque para o Festival do Rio 2014 saindo do forno! Aqui estão os filmes que acredito serem os mais interessantes analisando as sinopses (todas as 350 diga-se de passagem) e trailers, e tentando privilegiar todas as mostras. Aproveitem e boa sessão!

 

1 – BOYHOOD – DA INFÂNCIA À JUVENTUDE (mostra Panorama do Cinema Mundial)

É um dos filmes mais aguardados do Festival, o que significa que você vai chegar na central de venda de ingressos no dia que abrirem as vendas, enfrentar uma fila monstra e mesmo assim as sessões estarão esgotadas. São vários fatores que podem justificar essa expectativa mesmo com a certeza de lançamento no circuito em breve: o padrão de qualidade do Richard Linklater (Waking Life, Escola de Rock, trilogia Antes do Amanhecer…), o repeteco da dobradinha de sucesso com Ethan Hawke e o Urso de Berlim de melhor direção. Mas o que está deixando todos curiosos meeesmo é a proposta inédita do cineasta, que filmou o ator Ellar Coltrane de 2002 a 2013, acompanhando seu crescimento e consequentemente o do seu personagem na história.

 

2 – O SAL DA TERRA (filme de abertura do festival)

Documentário de Wim Wenders sobre os bastidores do novo projeto do mito da fotografia brasileira: Sebastião Salgado. Tá bom pra vocês? Não? Pois saibam que o filme levou o prêmio do júri na mostra Um Certo Olhar no Festival de Cannes desse ano. Foi codirigido por Juliano Ribeiro Salgado, filho do fotógrafo. Aliás, a fotografia do filme, como dá pra ver no trailer e como não podia deixar de ser, é deslumbrante.

3 – O CHEIRO DA GENTE (mostra Panorama do Cinema Mundial)

Mais um filme controverso de Larry Clark (Kids e Ken Park) sobre adolescência. Pra quem nunca ouviu falar nele, digamos assim… que ele é um Gus Van Sant menos “arty” e mais underground. Beeem mais underground. Tanto que os críticos americanos odeiam ele e seus filmes costumam nem serem distribuídos em sua própria terra. Por isso que a gente gosta, né? Ele é polêmico! Portanto essa pode ser uma chance única de assistir esse filme na telona. À propósito, O cheiro da gente ganhou prêmio de melhor filme no Festival de Roma.

4 – A LUNETA DO TEMPO (Premiére Brasil: Hors Concours – longa ficção)

Um drama musical folclórico brasileiro. Acredito que o primeiro. Escrito e dirigido pelo cantor Alceu Valença baseado em suas memórias de infância no sertão e nos mitos populares da cultura brasileira, num interessante encontro poético com o lúdico. Com o ator talentosíssimo e atual queridinho do cinema brasileiro Irandhir Santos como protagonista e a atriz Hermila Guedes. Todo jeito de que ia levar o Redentor pela sua originalidade se não estivesse fora da competição.

5 – GOD HELP THE GIRL (mostra Panorama do Cinema Mundial)

Falando em musical, temos aqui um exemplar com aquele jeitinho indie pop. Inglês, dirigido por Stuart Murdoch, líder da aclamada banda indie Belle & Sebastian e com esse trailer foférrimo. A trilha com certeza é ótima. Aposto que será o Pequena Miss Sunshine do festival desse ano. Com a atriz Emily Browning e Hannah Murray, a Gilly de Game Of Thrones (uma das mulheres do Craster e protegida do Sam), ou seja, tudo pra ser sucesso entre o público jovem do festival.

 

6 – O CIÚME (mostra Panorama do Cinema Mundial)

Novo filme do diretor francês Philippe Garrel (dos ótimos Amantes Constantes e Um Verão Escaldante) com o seu filho muso Louis Garrel protagonizando. Precisa de mais justificativa?

7 – SÉTIMO (Premiére Latina)

Todo Festival do Rio tem pelo menos 1 filme com a estrela do cinema argentino, Ricardo Darín, na Premiére Latina. Sétimo é o desse ano. O trailer mostra um suspense interessante. Confio nas escolhas de Darín (que já recusou papel em Hollywood, coisa que muito ator bom daria a sua vida para ter). Se ele topou fazer, eu topo assistir.

 

8 – LOVE FILM FESTIVAL (Premiére Brasil: competição longa ficção)

Primeira direção da roteirista Manuela Dias. São dela os roteiros dos filmes Deserto Feliz do diretor Paulo Caldas, Transeunte de Eryk Rocha e A Hora e a Vez de Augusto Matraga de Vinicius Coimbra, que levou o Redentor de melhor filme em 2011. No elenco Nanda Costa, o galã do cinema colombiano Manolo Cordona e a porta-bandeira do cinema nacional Leandra Leal. O longa foi filmado em vários festivais de cinema pelo mundo desde 2009, pois mostra a história de um casal (uma roteirista brasileira e um ator colombiano) através de seus encontros nos mesmos. A escolha de estrear num festival me faz gostar mais ainda desse filme. Ponto pra metalinguagem!

9 – ALTMAN, UM CINEASTA AMERICANO (mostra Filme Doc)

Documentário celebra os 50 anos de carreira do pai do cinema independente norte-americano: Robert Altman. Mesmo quem nunca viu um filme do cineasta, vale assistir para conhecer mais sobre essa personalidade única.

10 – NAN GOLDIN – LEMBRO DO SEU ROSTO (mostra Itinerários Únicos)

O documentário não se atém em contar a trajetória da fotógrafa americana Nan Goldin, mas a acompanha em uma viagem com suas reflexões e momentos íntimos. Goldin se tornou conhecida por documentar no final dos anos 70 o cenário da subcultura de Nova York. Imagens que continham nudez, homossexualidade, usuários de drogas pesadas, enfim, tudo que era controverso e para muitos ainda hoje é. Tanto que em 2012 o Oi Futuro deu para trás ao ver o conteúdo de uma retrospectiva de sua carreira que abrigaria em sua sede.

11 – PROCURANDO FELA KUTI (mostra Midnight Música)

Documentário sobre a obra e vida do músico Fela Kuti, pioneiro do afrobeat, um revolucionário da cultura negra e agitador social. Se você nunca ouviu falar nele, tá aí uma boa oportunidade de conhecer a sua trajetória.

12 – KUMIKO, A CAÇADORA DE TESOUROS (mostra Midnight Movies)

Kumiko vive em Tóquio num “apertamento” e tem um trabalho chato. Quando encontra uma antiga fita VHS do filme Fargo, fica obcecada com a história, que acredita ser real. Kumiko estuda meticulosamente o filme até mapear a localização exata da maleta de dinheiro enterrada ao final da fita. Acreditando que este tesouro é sua única chance de mudar de vida ela, com pouco dinheiro e sem saber quase nada de inglês, embarca em uma jornada pelo interior da gelada Minnesota. Com uma sinopse dessa, esse filme desse ser no mínimo divertido. Levou o prêmio especial do júri no Festival de Sundance desse ano. Não tem trailer disponível na web.

13 – GUEROS (mostra Foco México)

Resumidamente: três inquietos jovens circulam pela cidade em busca de diversão. Quando vocês assistirem o trailer aqui embaixo vão ver algo bem diferente do que imaginaram ao ler a sinopse. Grata surpresa. Vencedor dos prêmios de melhor filme de estreia no Festival de Berlim e melhor diretor estreante no Festival de Tribeca, ambos esse ano.

14 – REVOLUÇÃO AO CONTRÁRIO (mostra Fronteiras)

O documentário  da cineasta italiana Chiara Cavallazzi propõe a discussão sobre um tema em ebulição no mundo todo: a crise do modelo de sociedade que vivemos. O antropólogo David Graeber guia o espectador por essa análise das crises e revoltas atuais. Tendo como ponto de partida o Occupy Wall Street, o doc passa por protestos no Egito, na Itália, na Guiné, na Espanha e nos EUA. Primeiro episódio da trilogia homônima.

15 – TODA TERÇA-FEIRA (mostra Expectativa)

Esse longa de ficção australiano explora a relação entre uma mãe que troca de sexo e sua filha. Pelo trailer, a forma como o tema é explorado parece ser diferente, o que me deixou curiosa. Vencedor do Urso de Cristal de melhor filme da mostra Generation 14plus do Festival de Berlim e melhor direção no Sundance Film Festival desse ano.

16 – O SEQUESTRO DE MICHEL HOULLEBECQ (mostra Expectativa)

O filme é um espécie de mockumentary, ou seja, é um falso documentário que mostraria o que teria acontecido ao escritor francês Michel Houllebecq em setembro de 2011, durante a turnê promocional de seu livro O mapa e o território, quando desapareceu da face da Terra. Na época surgiram teorias na internet sugerindo que ele havia sido sequestrado pela Al-Qaeda ou por alienígenas. Interpretanto a si mesmo o escritor estaria revelando o que realmente aconteceu e o que queriam seus verdadeiros algozes. Foram ouvidos rumores que o filme é melhor que os livros do autor. Vamos tirar a dúvida.

17 – ONÍRICA (mostra Panorama do Cinema Mundial)

Desolado pela perda de sua amada em um acidente de carro, o poeta Adam desiste de seu trabalho como professor de literatura para trabalhar em um supermercado. No entanto, tudo que ele quer é dormir, fugindo de sua realidade dolorosa. Seu único consolo nestes tempos difíceis é a leitura da Divina Comédia. O diretor polonês Lech Majewski tem a habilidade de construir uma história a partir de outra obra artística, como fez no seu filme anterior, O moinho e a cruz, em que imagina como teria sido o processo de criação de A Procissão para o Calvário, tela de 1564 de Pieter Bruegel sobre a realidade de Flandres da época. O trailer sugere uma linguagem diferenciada.

18 – ÍNDIA: MATRI BHUMI (mostra 6X Rossellini: Uma homenagem à cineteca di Bologna)

Este é o primeiro de uma dezena de documentários rodados por Rossellini. Jean-Luc Godard diz que o filme é o ápice do gênero, comparando-o com Que viva México de Sergei Eisenstein, Tabu de F.W. Murnau e ao famoso É tudo verdade de Orson Welles. O filme é uma grande obra sobre a integração entre o homem e a natureza, que a partir de uma realidade documental propõe vários modelos de ficção. Por ser uma obra-prima inédita nas Américas, vale conferir. Oportunidade única também.

19 – DE GRAVATA E UNHA VERMELHA (Premiére Brasil: Retratos)

O documentário de Miriam Chnaiderman investiga as várias possibilidades de existência em termos de sexualidade, explorando a questão do binarismo de gênero. O time de entrevistados é peso pesado no assunto: Rogéria, Ney Matogrosso, Laerte, Bayard Tonnelli, Johnny Luxo, Candy Mel (vocalista da Banda Uó).

20 – MUITO ALÉM DAS PATRICINHAS DE BEVERLY HILLS ( Midnight Docs)

Quem era adolescente nos anos 90 vai curtir esse filme. Exibido no SXSW, foi bem recebido pela crítica e público. Financiado por mais de 500 apoiadores através de crowdfunding, o documentário mostra o amadurecimento dos filmes que abordam temas e personagens da high school norte-americana na era pós-John Hughes através da investigação das estruturas narrativas de cerca de 200 filmes do gênero. As patricinhas de Beverly Hills, Eu sei o que vocês fizeram no verão passado, Meninas malvadas e todos os filmes que formaram uma geração estão no documentário.

Deixe um comentário